No que creio e tento viver.

Entendo que a verdadeira rendenção espiritual não tem entre os seus agraciados aquelas pessoas que posam de santas e moralmente irrepreensíveis, tampouco aquelas que investem a sua vida em defender a doutrina melhor fundamentada em escritos ancestrais... vejo que ela é alcançada pelo pecador arrependido que, por assim se reconhecer e ciente de sua limitação, ousa não mais negociar com Deus o Seu favor mediante seus esforços pessoais mas, em um passo de fé, acredita na bondade intrínseca de seu Ser e nos méritos do Cristo crucificado e ressurreto respondendo à essa fé com uma nova postura, voltada à Deus e ao próximo sem fanatismos, dando assim sabor à sua vida e a dos que estão à seu redor neste mundo. E tudo isso é possível exclusivamente pela Graça de Deus, fruto de Seu amor por nós.

sábado, 24 de outubro de 2009

Conheci a Graça através de minha filha especial


Hoje, dia 24 de Outubro, nossa filha Rayane completa seus 19 aninhos. Quem diria que eu seria pai de uma moça (eterna menina) de 19 anos?

Ela foi o instrumento de Deus através do qual, há catorze anos, eu pude conhecer a Sua surpreendente graça.

Aos vinte e cinco anos, meu ministério sofreu uma reviravolta. Deus presenteara a mim e a minha esposa Tânia com uma filha especial. Aos cinco anos, Rayane jamais andara ou falara. Depois de recorrer a vários especialistas, ouvimos de uma médica boliviana na ABBR do Jardim Botânico que nossa filha jamais andaria. Isso embaralhou minha cabeça. Como eu poderia continuar pregando o Evangelho, se minha própria filha era impossibilitada de andar? Como as pessoas dariam crédito à minha pregação?

Numa manhã de sábado acordei com um forte desejo de orar. Pedi à minha esposa que não queria ser interrompido. Tranquei-me no quarto comecei a me desabafar com Deus.

Minhas palavras foram mais ou menos assim: - Senhor, não é justo que minha filha continue assim. Lembra de tudo o que tenho feito pela Tua obra. Lembra que tenho gasto toda minha juventude pra Ti. Lembra dos meus sacrifícios. Meu pai tem dedicado trinta anos de sua vida em Tua obra. Até quando, Senhor, minha filha será a vergonha do meu ministério? Era como se eu estivesse cobrando de Deus a sua cura, respaldado em meus méritos pessoais.

De repente, senti que algo estava acontecendo. Calei-me, e aguardei. Uma voz doce e suave dirigiu-se ao meu coração: - Desde quando suas boas obras lhe dão o direito de me cobrar alguma coisa? Eu não lhe devo nada. E o que eu faço na vida do homem, não é por seus méritos, mas pela minha Graça.

O conceito de graça desafiava meu entendimento e contrariava boa parte daquilo que havia aprendido acerca das coisas de Deus. Mesmo relutante, abri minha Bíblia, e comecei a ler a carta de Paulo aos Romanos. A sensação que eu tinha era de que vendas haviam sido retiradas dos meus olhos. Estava tudo ali. E eu, nascido e criado na igreja, pastor há oito anos, ainda não havia percebido. Foi, de fato, uma revelação. Escamas caíram dos meus olhos. Uma indizível alegria tomou de assalto o meu coração.

Eu e Tânia resolvemos marcar um culto de ação de graças pela vida de Rayane. Pela primeira vez, expus publicamente o problema de nossa filha. Até aquele dia, eu sempre orientava minha esposa a manter nossa filha fora dos olhares curiosos dos irmãos da igreja. Elas costumavam se sentar no último banco, e antes que o culto terminasse, Tânia a levava para meu gabinete.

Dias depois, num culto de Domingo a noite, no momento do ofertório, minha esposa tirou da bolsa uma oferta. De repente, Rayane tomou o dinheiro de sua mão, levantou-se, e foi caminhando até a frente do púlpito. Todos ficaram pasmados, inclusive eu. Alguns, emocionados, começaram a chorar. E eu, com a voz embargada, não sabia como reagir àquilo que Deus fazia diante dos meus olhos. Minha filha, finalmente, caminhava pela primeira vez, sem jamais sequer ter engatinhado!

O que aprendi com Rayane

Aprendi a vencer pelo silêncio, a não me preocupar em provar nada pra ninguém.

Rayane me mostrou que é da fraqueza que Deus tira a fortaleza. Que a vergonha de hoje, é a glória de amanhã. Sem qualquer palavra, Rayane nos tem transmitido o mais belo sermão de amor e graça.

Obrigado, filha. Obrigado, Senhor, por nos ter confiado uma vida tão preciosa.

Quando o mundo me decepcionar, olharei para seus olhos puros e meigos, e recobrarei meu ânimo e esperança de um mundo melhor.

Te amo tanto, Ray!

Feliz Aniversário!

Hermes Fernandes

Clique aqui e conheça mais dessa preciosidade do Reino entre nós.

5 comentários:

Hermes C. Fernandes disse...

Olá Eliezer!

Fiquei muito feliz em encontrar o testemunho da minha filha reproduzido em seu blog.

A propósito, parabéns pelo conteúdo do blog. Já estou seguindo!

Aproveito para lhe convidar a conhecer o meu blog, caso ainda não o conheça, e se desejar segui-lo, será uma honra.

Seus comentários também serão sempre bem-vindos.

www.hermesfernandes.blogspot.com

Te espero lá!

Tito disse...

Oi Eliezer,aki é o tito from brasília,sem abraço e sem bj, com sal e pimenta.
Há os iguais,e os desiguais!
Farinha do mesmo saco,somos todos,TODOS copiou? Temos um pouco ou muito do irmão + Velho da parábola do filho pródigo,e um pouco ou muito do filho pródigo,o mais novo.Caio não é diferente,e não está fazendo diferença.Portanto, está fritando bolinhos,o mesmo que outros,copiou?
tito,from brasília,
sem abraço e sem bj, por enquanto.

Eliézer disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eliézer disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eliézer disse...

Caro Tito:

O espaço para esse debate não é nessa postagem de meu blog. Se há algo mais a ser falado sobre esse assunto, que se permaneça no espaço já aberto no blog do Pava.

Essa é sua opinião, eu a entendi desde sua primeira exposição e eu a respeito. O que não posso deixar de observar é que esta é sua opinião e que não é verdade inconteste, assim como a minha.

Acredito sinceramente que ainda há algo latente a ser resolvido entre você e o Caio, e não comigo. O que eu tinha de diferenças com ele eu resolvi pessoalmente, olho no olho, quando passou por São Paulo. Por isso sugeri uma visita sua à ele, já que mora tão próximo.

Há gente ajudada pelas pregações do Malafaia, mesmo que seja uma versão gospel de auto-ajuda do Lair Ribeiro; outros se sentem acolhidos por Deus pelo jeito íntimo-fake da Sônia Hernandez; pessoas se sentem desafiadas a romper limitações pessoais em uma mensagem do Macedo e há ainda aqueles que depois de serem iludidos pelos artifícios humanos da religião encontram em pessoas como o Caio a velha Palavra do Evangelho que é a única capaz de saciar a sede humana. E, além do Caio, outros são usados apesar de suas limitações como Ariovaldo Ramos, Ed René, Ricardo Gondim e todos os demais que também são farinha do mesmo saco chamado "pecado original"...

De minha parte, dou por encerrado este assunto. Um sincero abraço e um amoroso beijo em Cristo no irmão, ainda que não queira retribuí-lo, como forma de protesto a todos aqueles que não compartilham de sua opinião.

Paz!