No que creio e tento viver.

Entendo que a verdadeira rendenção espiritual não tem entre os seus agraciados aquelas pessoas que posam de santas e moralmente irrepreensíveis, tampouco aquelas que investem a sua vida em defender a doutrina melhor fundamentada em escritos ancestrais... vejo que ela é alcançada pelo pecador arrependido que, por assim se reconhecer e ciente de sua limitação, ousa não mais negociar com Deus o Seu favor mediante seus esforços pessoais mas, em um passo de fé, acredita na bondade intrínseca de seu Ser e nos méritos do Cristo crucificado e ressurreto respondendo à essa fé com uma nova postura, voltada à Deus e ao próximo sem fanatismos, dando assim sabor à sua vida e a dos que estão à seu redor neste mundo. E tudo isso é possível exclusivamente pela Graça de Deus, fruto de Seu amor por nós.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Se eu quiser falar com Deus

(...)
Eu preciso de ti, oh Pai!
Sou pequeno demais
Me dá a tua paz
Largo tudo para te seguir!

Entra na minha casa
Entra na minha vida
Mexe com minha estrutura
Sara todas as feridas
Me ensina a ter santidade
Quero amar somente a ti
Porque o Senhor é meu bem maior
Faz um milagre em mim!

***

Em relação à Música, quem me conhece sabe que não curto muito essas letras "pobres", sem reflexão, sem mistério, sem novidade, sem criatividade.
Essa, acima, é uma letra desse tipo que, em lendo, nada me acomete. Passa batido e sem batida em mim.
Eu a ouvi até retumbante, como os instrumentos de sopro transformam as canções, ela estava toda osquestrada por muitas vozes, acusticamente poderosa... Foi há umas semanas atrás, numa catedral católica da cidade, durante o casamento de uma amiga querida. Sim, gostei e apreciei, mas nem assim eu a "senti".

Por outro lado, quando estou orando, seja no quarto mais íntimo da alma ou nas "estações" de pouso público - e mesmo nas calçadas da vida por onde caminho cantarolando - é exatamente assim que me expresso! É "bobo" assim, simples assim!

Ora, como ser criativo diante do Criador?

Só se eu for um tolo ou não acreditar estar realmente falando com Ele! Porque quem cria é Ele, e eu sou "feitura Dele, criado de antemão..."
Como lhe falar alguma novidade?
Ele tudo sabe e é a Boa Nova em Pessoa!

Não fico filosofando quando estou orando! Acho doentio alguém orar a Deus procurando termos e verbos.
Orar não é "português", e "embria-guez", é a gente feito embrião no ventre!
Oração não é mentalização, é desejo! É vontade de mamar, é criança balbuciante, pedinte, que não sabe se expressar senão com gestos e olhar!

Sei que a mente pode até entorpecer, e o mais lúcido dos homens vira alucinação, fica embriagado! Se funde com o sagrado e não entende nem o que fala, em verbalizações inexpremíveis...

Daí que a oração não é linguagem intelectual, é testificação do enlace no espírito.
É derrame, é alma exposta, é gemido, é dor, amor, lágrima, sorriso... É mesmo básico, infantil, sem nada decorado, nada embelezado. É quem sou, como sou; é ânsia de vê-Lo agindo em mim, por mim, comigo!
Às vezes, é só gratidão, outras vezes é apelo, rogo, insistência, vômito! É, contudo, sempre súplicas com ações de graças!
E, às vezes, é só respiração, transpiração, inspiração, des-petrificação, plenificação e silêncio!

Todavia, dependendo de como estou, nem dentro de um mosteiro de quietude consigo concentrar-me em orar, de tanto que a mente perturbada circula acelerada pelos corredores desse labirinto que é viver agarrado à projetos e projeções. Eu tento. Não consigo. Parece que tenho mais o que fazer... Só elevo meus olhos para os "montes", na direção que Quem pode me prover socorro!

Mas quantas outras vezes, dentro do carro-que-sou-eu, em meio ao trânsito da urbanidade carregada, eu não "subi" e me agarrei Nele? "Meu Pai, me leva daqui... Me coloca em teus braços, me faz dormir... Acaba logo com isso, tenho saudades de ti! Ai... Ai.. que saudades de ti! Da glória que terei junto a Ti...Saudade de tudo que eu ainda não vi... De voltar de onde eu parti... e pela primeira vez, conhecer esse lugar! Lugar que agora, por ora, habita em mim! Ah! Tu habitas em mim... já ia me esquecendo... Cristo em mim, esperança de Glória!... Meu Bem Maior... Faz um milagre em mim..."

Pois é.... manos queridos... Se alguém me testemunhar orando verá a breguice que é fazê-lo!
Nas Escrituras, não vejo quem esteja orando como se a Deus estivesse pregando... Nem profeta, nem apóstolo, nem salmista e nem o Messias!

Afasta de mim esse cálice, Paaaaiiiii - Foi Jesus-não-pode-ser
Senhor, não sei falar, sou pesado de língua... Foi Moíses, tentando desviar-se
Tá bom, Senhor, eu vou! - Foi Ananias já cedendo...
Ai de mim que vou perecendo...Foi Isaías vendo o que não podia...
Senhor... sou apenas uma criança...Foi Jeremias, que se conhecia
Afasta-te de mim, pois sou pecador... Foi Cefas querendo Deus
Tu és o Cristo, o Filho do Deus Vivo!... Foi Cefas, feito Pedro
Eu encontrei teus altares, Deus meu e Rei meu! - Foi Davi todo seguro
Dá-te pressa em acudir-me!!! Levanta-te, Senhor!!! - Foi Davi todo inseguro
Ora, vem Senhor Jesus! - Foi João, fechando o Livro
Pai, nas tuas mãos entrego meu espírito - Foi Jesus fechando a História!


Tolices são orações enfeitadas em línguas in-devotas. Porque rasgos intelectuóides não cabem dentro de orações de verdade!
Orações de verdade só cabem dentro de ternos rasgados feito o Véu em devo-ção, sujos no pó e na cinza e lavados no Sangue, novo e vivo Caminho por onde a alma entra nua e ousada, com a fronte curvada e mesmo assim elevada, sempre assumida, sempre confessada!

Oração é a ação de adorar!
É ador-ação.
É música mesmo, cantada ou não!
Das mais tolas e sinceras... e oro agora por quem já perdeu essa dimensão:

"Pai, não deixa não..."


Marcelo Quintela

2 comentários:

Maxmiler Freitas disse...

Gostei de mais do seu blog, principalmente desta postagem.

Que Deus lhe abençoe!

Estou seguindo seu blog.

http://milerfreitas.blogspot.com/2009/07/lei-da-liberdade.html

Eliézer disse...

Olá Maxmiler!

Fico grato com sua visita.

Dá uma fuçada no blog... deve haver mais coisas que te agradem.

Paz!